Artigo: A palavra da vez é …. Previdência

previdencia

(Por Myrian Lund, especialista em finanças) Um novo aprendizado está chegando para a população brasileira em todas as instâncias, pública e privada. A mudança da previdência oficial, ainda que progressiva, está a caminho. E, pode afetar pouco a nossa vida, mas, muito a de nossos filhos e netos. Quanto ao aprendizado? Estamos sendo alertados diariamente para poupar e a investir dinheiro para o curto, médio e longo prazo.

CURTO PRAZO – liquidez diária é o mais importante; reveja a sua rentabilidade, que deve estar entre a 90 e 100% do CDI. Produtos: CDB (Banco), RDC (Cooperativa de Crédito), Fundo de Renda Fixa e Tesouro Selic. Para ganhar menos que 90% do CDI, é melhor ficar na Poupança, mas cuidado, pois, apesar de dar liquidez diária, o rendimento só é considerado se você deixar o dinheiro parado até o mesmo dia do próximo mês (data de aniversário).

MÉDIO PRAZO (2 a 5 anos) – aqui o importante é manter uma rentabilidade acima de 100% do CDI. Pode ser CDB, LCI e LCA de pequenos bancos, garantidos pelo FGC. Pode também diversificar no Tesouro Prefixado e em Fundos Multimercados.

LONGO PRAZO (acima de 5 anos) – a meta aqui é a qualidade de vida no futuro, quando você não terá mais condições de trabalhar como hoje. Mas, quantos anos vamos viver? Nós, planejadores financeiros, estamos usando ciclo de vida até 100 anos de idade. Produtos interessantes: Tesouro IPCA+, Fundos Multimercados, Fundos de ações (apenas 5% dos recursos investidos) e o rendimento de Fundo Imobiliário para quem deseja complemento de renda mensal. Agora, um destaque especial cabe aos Planos de Previdência com retornos igual ou superior a 100% do CDI.

  • Por que a Previdência vem ganhando destaque para a aposentadoria e para demais projetos de longo prazo? Porque é um produto cujo imposto de renda é pago somente no resgate (não tem come cotas como fundos de investimento) e possui, se você escolher a tabela regressiva, a menor alíquota de Imposto de Renda, que é 10%.
  • Como escolher a Previdência?
    Eu gosto muito de Planos de Previdência Fechada, como o da JUSPREV, pois não tem fins lucrativos, o que permite que todo o ganho se reverta para os participantes. Gosto, também, para quem é da iniciativa privada, dos planos oferecidos pelas empresas, pois, em função da negociação ‘empresa x seguradora’, os benefícios tendem a ser melhores que o dos planos abertos oferecidos pelos bancos.
  • O que é o CDI? O que preciso saber?
    O CDI é a taxa média praticada entre bancos e ligeiramente abaixo da taxa Selic Meta. Hoje a taxa Selic Meta está em 6,5% ao ano e o CDI em 6,40% ao ano. O Brasil, diferente de outros países, tem as suas taxas disponibilizadas em dias úteis, sendo que o ano padrão tem 252 dias úteis e o mês padrão, 21 dias úteis. Se o CDI permanecer em 6,40% o ano todo, ainda assim a sua rentabilidade mensal vai variar, de acordo com o número de dias úteis do referido mês:

17 dias úteis – 0,42% am

18 dias úteis – 0,44% am

19 dias úteis – 0,47% am

20 dias úteis – 0,49% am

21 dias úteis – 0,52% am

22 dias úteis – 0,54% am

23 dias úteis – 0,57% am

Por isso que não usamos a rentabilidade nominal, e sim % do CDI para você saber se está sendo bem ou mal remunerado:

  1. para liquidez diária – 90 a 100% do CDI
  2. para investimentos de médio e longo prazo – 100% ou mais do CDI.

Aproveitando e utilizando a Jusprev como referência, pode-se observar que a rentabilidade está excelente comparativamente a produtos similares:

Últimos 12 meses (2018) – 119,5% do CDI

Últimos 24 meses (2017 e 2018) – 109,36% do CDI

Últimos 36 meses (2016, 2017 e 2018) – 103,49%

Parabéns JUSPREV, você está fazendo a diferença na vida dos seus participantes!!!